Conhecendo algumas substâncias perigosas no trabalho

O que é e como prevenir a perda auditiva induzida por ruído
27 de março de 2021
Saiba a importância e quando realizar o exame psicossocial
3 de abril de 2021

Os riscos no ambiente de trabalho exigem que os empregadores tomem uma série de medidas preventivas, cujo principal objetivo é garantir a saúde e o conforto dos colaboradores. Quando substâncias perigosas estão presentes no local de trabalho, essas medidas preventivas de segurança precisam ser consideradas mais do que nunca.

Isso porque, se não forem devidamente avaliados, o manuseio e a existência de elementos perigosos terão graves consequências para a saúde dos colaboradores, principalmente quando os níveis de exposição forem elevados.

Mas você já sabe quais são as principais substâncias perigosas no ambiente ocupacional e como controlar os riscos?

Gases

Quando uma substância está em estado gasoso, o mais preocupante é se ela pode se tornar invisível e sem sabor, o que obviamente dá a impressão errada de que está tudo bem. No entanto, mesmo que não possamos perceber certos gases, existe o perigo de morte em alta exposição, por exemplo, o monóxido de carbono CO (produzido principalmente pela combustão incompleta de combustíveis fósseis).

Além disso, mesmo que os funcionários não fiquem expostos ao gás por muito tempo, eles são perigosos, portanto, há risco de queimaduras (como amônia), sufocação e envenenamento (como gás cloreto).

Líquidos

Mesmo em um estado físico que nos permite percebê-los, se líquidos perigosos forem manuseados / armazenados de forma incorreta, podem causar sérios danos à saúde.

Um bom exemplo de líquidos perigosos são os combustíveis fósseis (querosene, diesel e gasolina) porque eles são altamente inflamáveis ​​e aumentam a chance de incêndio ou acidentes.

Além desses líquidos, podemos destacar também as substâncias líquidas perigosas: álcool, acetileno, benzeno, etanol e nitrogênio industrial.

Sólidos

Finalmente, ao contrário do que muitas pessoas acreditam, não são apenas gases e líquidos que tornam o ambiente de trabalho perigoso, mas também exemplos de elementos sólidos.

Desse modo, se uma empresa tem ambientes de trabalho onde há estoque ou a manipulação por parte dos colaboradores de elementos como lâmpadas, baterias, pilhas, remédios vencidos e materiais fabricados em amianto, é imprescindível adotar medidas que visam ao controle dos riscos ocupacionais.

Há um outro grupo de substâncias normalmente esquecidas ou negligenciadas que são as “poeiras explosivas” que são formadas por micropartículas de materiais que originalmente em condições normais não são inflamáveis como farinha, açúcar, madeira e metais. Se essas micropartículas estiverem dispersas em um ambiente confinado com oxigênio e houver exposição a uma fonte de calor, há uma grande probabilidade delas inflamarem e dependendo da concentração, provocarem uma explosão. Essa é uma das causas de explosões e incêndios em silos que armazenam grãos.

Medidas preventivas

Não importa em qual estado físico a matéria se encontra, se ela representa algum tipo de risco à saúde do colaborador, é obrigação da empresa:

  • providenciar a Análise Preliminar de Risco;
  • disponibilizar para toda equipe de colaboradores os devidos EPI’s e EPC’s;
  • garantir que todas as normas regulamentadoras sejam respeitadas;
  • repor, a qualquer momento e de forma gratuita, os EPI’s vencidos.

Sendo assim, notamos que, ao identificar a presença de substâncias perigosas no trabalho, é essencial a providência imediata das medidas preventivas, as quais visam aumentar a segurança ocupacional e garantir a saúde e conforto dos colaboradores. Com isso, também cumprem-se as normas vigentes e melhoram-se as condições de trabalho para todos.

Fonte: SAFE

Autenticação do Certificado